a psicopedagogia estuda os processos de aprendizagem que ocorre em todas as fases da vida. Avalia e intervêm nas dificuldades e os transtornos que interferem na assimilação do conteúdo.

Adriana Martins Ferreira

Psicóloga e Psicopedagoga 

Em Curitiba

CRP: 08/4536

PSICOPEDAGOGIA

ATENDIMENTO A CRIANÇAS, ADOLESCENTES, ADULTOS E IDOSOS.

Podemos compreender a psicopedagogia como uma área de conhecimento que se propõe integrar conhecimentos de várias ciências entre as quais podemos destacar: psicologia, pedagogia, neurologia, sociologia, antropologia, linguística, ou seja, todas as áreas que estudam o processo de aprendizagem.

 

Inicialmente ela surgiu com o objetivo de trabalhar a dificuldade de aprendizagem. Atualmente podemos ampliar seu objetivo para a compreensão do processo de aprendizagem do sujeito cognoscente.

 

A Psicopedagogia configura-se no campo clínico e/ou institucional (escolas, hospitais empresas etc.), e sua prática pode ser preventiva e/ou terapêutica.

 

O que inicialmente atendia crianças e adolescentes, hoje estendeu-se também para atendimentos de adultos e idosos, pois compreende-se que o processo de aprendizagem ocorre em todas as fases da vida.

 

Dentre os possíveis sintomas que a psicopedagogia pode intervir destacam-se: dificuldade no processo de alfabetização e/ou matemática, dislexia, disortografia, disgrafia, déficit de atenção, dificuldade de interpretação de texto, vinculo negativo com a aprendizagem, rotina de estudos, dentre outras dificuldades interferindo no processo de aprendizagem. Pessoas com diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista também recebem intervenções específicas na psicopedagogia.

AVALIAÇÃO PSICOPEDAGÓGICA: CRIANÇAS E ADOLESCENTES

Mais abaixo, você encontrará informações sobre a psicopedagogia para adultos e idosos.

 

A avaliação psicopedagógica é um processo complexo de investigação da situação de aprendizagem do sujeito. Busca compreender não somente o "porquê" da dificuldade, mas também "o que" ele pode aprender e "como".

 

No consultório o processo inicia-se com o processo de avaliação, para posteriormente dar início ao processo interventivo (se for o caso) e possíveis encaminhamentos.

 

Etapas do processo de avaliação:

No primeiro encontro, a profissional realiza uma entrevista com os pais, onde a criança ou adolescente não estará presente. É realizada uma anamnese e ao final explicado aos pais como ocorrerá o processo avaliativo.

 

Nesse encontro é pactuado o dia e horário das sessões e o tempo estimado da avaliação.

Geralmente são necessários de 8 à 10 sessões com a criança e/ou adolescente para a avaliação.

ENTREVISTA COM OS PAIS

São utilizados instrumentos avaliativos condizentes com a queixa apresentada.

COM A CRIANÇA OU ADOLESCENTE
a) ENTREVISTA OPERATIVA CENTRADA NA APRENDIZAGEM (E.O.C.A.

Geralmente na primeira sessão, a psicopedagoga realiza a Entrevista Operatória Centrada na Aprendizagem: é dado a consigna para o sujeito avaliado demonstrar “o que você sabe fazer, o que lhe ensinaram a fazer, o que você aprendeu a fazer”.

 

A psicopedagoga observa como a criança ou adolescente expressa seu vínculo com a aprendizagem, seus conhecimentos, resistências em relação ao conteúdo escolar, postura física, etc.

 

Ao final da sessão, profissional já consegue levantar seu sistema de hipóteses em relação a dificuldade apresentada. Realiza um planejamento de instrumentos avaliativos que utilizará.

b) TESTES

Dependendo do sintoma apresentado (queixa) e o sistema de hipóteses levantado na E.O.C.A. é então aplicado uma série de testes: desenvolvimento cognitivo, inteligência, projetivos, psicomotor, etc.

 

Como sou psicóloga, utilizo também alguns testes como o WISC IV, Bender, etc., que são de uso restrito de psicólogos. Então, posso afirmar que minha avaliação psicopedagógica, envolve aspectos psicológicos (cognitivos e emocionais).

c) HABILIDADES PEDAGÓGICAS

Importante avaliar alguns conteúdos escolares como leitura, escrita, interpretação de texto, cálculos matemáticos, etc. Muitas vezes já vem um relatório do colégio, mas a profissional analisa não somente se acertou o conteúdo ou não, mas a forma como se relaciona, estratégias que utiliza, etc.

d) CONTATO COM EQUIPE PEDAGÓGICA E OUTROS PROFISSIONAIS

A profissional também realiza entrevista pessoalmente ou por telefone com o professor e/ou coordenação pedagógica do colégio.

 

Algumas vezes é necessário contato com outros profissionais que porventura já estão acompanhando o sujeito, etc.

Importante na primeira consulta os pais já levarem uma cópia de laudos, relatórios etc. que tenham sobre o seu filho (a).

 

Durante o processo a psicopedagoga analisará cadernos, apostilas, provas etc., do avaliando.

e) ANÁLISE DE MATERIAL ESCOLAR E LAUDOS DE OUTROS PROFISSIONAIS

Após o processo avaliativo, é realizada uma entrevista devolutiva aos pais e posteriormente ao sujeito avaliado. É explicado todo o processo e resultado das testagens.

 

Se for indicado um acompanhamento psicopedagógico, será explicado o motivo e quais áreas necessitam intervenção. Algumas vezes há necessidade também de uma avaliação com outro profissional, como por exemplo, um neuropediatra, fonoaudiólogo, etc.

 

Muitas vezes, apesar do sintoma ser uma dificuldade de aprendizagem, o mais indicado é um processo de psicoterapia, e não psicopedagogia. Algumas vezes, a dinâmica familiar está implicada no sintoma, e há necessidade de uma intervenção familiar.

 

Geralmente é pactuado Orientação aos Pais, pelo menos uma vez ao mês, pois eles devem colaborar com o processo com alteração de algumas dinâmicas no ambiente familiar.

 

Um Laudo psicológico/Psicopedagógico será entregue para os pais e a equipe do colégio ou profissional que solicitou a avaliação.

DEVOLUTIVA AOS PAIS
PROCESSO DE INTERVENÇÃO

Dependendo do resultado do processo avaliativo, é indicado sessões 1 ou 2 vezes por semana. Quando indicado 2 vezes e a família só consegue fazer 1 vez, deve estar ciente que o processo fica mais lento, e em alguns casos, insuficiente.

A psicopedagoga pode utilizar de diversos instrumentos/ferramentas para a intervenção psicopedagógica, dependerá o resultado da avaliação e as áreas que devem ser estimuladas.

 

A intervenção psicopedagógica tem como objetivo quebrar os padrões anteriores no processo de aprendizagem, aprimorando as habilidades do sujeito e superando as dificuldades apresentadas.

 

Dentre os instrumentos que pode utilizar: jogos, brincadeiras, projetos, etc.

 

Importante diferenciar a intervenção psicopedagógica de aulas particulares. O psicopedagogo não realiza aula particular. Quando esta for a indicação, um professor deverá ser acionado.

 

Importante

Muitos pais protelam a procura por um processo de avaliação, acreditando que o filho (a) em breve vai superar.

 

Pode acontecer que essas dificuldades vão prejudicando cada vez mais o processo de aprendizagem, interferindo na autoestima e causando muitas vezes ansiedade na criança ou adolescente.

 

Quanto mais demorar para compreender o que ocorre no processo de aprendizagem pior pode ser!

 

Muitas vezes eles conseguem estratégias para tentar superar as dificuldades, mas com o passar do tempo tudo vem à tona...

 

Converse com ele sobre as dificuldades que ele apresenta, escute o que a equipe pedagógica orientou.

 

Não protele a busca por uma ajuda profissional, o prejudicado não é somente seu filho (a), mas toda a família.

AVALIAÇÃO PSICOPEDAGÓGICA: ADULTOS E IDOSOS

A psicopedagogia para essas duas fases da vida tem suas especificidades, tendo em vista as características próprias do aprender, apoiando-se nos pressupostos da Andragogia e Heutagogia, e evidentemente em outras ciências.

 

No processo de avaliação psicopedagógica com adultos e idosos, o psicopedagogo irá investigar o que pode estar dificultando ou impedindo o processo de aprendizagem.

 

Está cada vez mais frequente, adultos e idosos procurarem um profissional para obterem ajuda no seu processo de aprendizagem. Mas, infelizmente, ainda existe muito preconceito e muitos deixam de procurar porque acreditam que na sua faixa etária nada pode ser feito. O que não é verdade.

 

Dentre as queixas mais comuns encontramos: adultos cursando uma graduação com dificuldades em interpretação de texto e cálculos; dificuldades na leitura e escrita; dislexia; TDAH; TDA; dificuldades em compreensão em cursos profissionalizantes que estão realizando por mudanças no mercado de trabalho, etc.

 

Muitos procuram também por encaminhamento médico ou por professores ou supervisores da graduação que percebem a dificuldade do aluno adulto.

 

Etapas do processo de avaliação:

a) ENTREVISTA INICIAL

É coletada informações sobre o histórico de vida e lembranças sobre dificuldades do processo de aprendizagem que o sujeito recorda.

 

Nessa entrevista a psicopedagoga já observa características da expressão verbal, organização e coerência de pensamento etc.

b) ENTREVISTA OPERATIVA CENTRADA NA APRENDIZAGEM (E.O.C.A.)

É solicitado que o cliente mostre o que sabe, aquilo que ele faz de melhor.

É apresentado frases incompletas para que o cliente finalize . A análise contribuirá para melhor compreensão de vários aspectos da vida do cliente.

d) COLAGENS

A profissional solicita que seja realizado uma colagem com o tema X (escolhe de acordo com o que já conseguiu de informações anteriores.

e) DIAGNÓSTICO OPERATÓRIO

É aplicado um conjunto de provas piagetianas para avaliar o nível de desenvolvimento cognitivo.

f) IDENTIFICAÇÃO DAS VIAS SENSORIAIS PREFERENCIAIS

c) TÉCNICAS DAS FRASES INCOMPLETAS

Essa identificação é muito importante para que o indivíduo aprenda a utilizar estratégias no seu processo de aprendizagem.

 

As possibilidades são: visual, auditiva, auditiva e sensação.

g) IDENTIFICAÇÃO DO ESTILO DE APRENDIZAGEM

Dentre as possibilidades: ativo, reflexivo, teórico e pragmático. Importante o indivíduo saber seu estilo, pois irá favorecer seu processo de aprendizagem.

h) VÍNCULO COM A APRENDIZAGEM

Nem sempre há necessidade de aplicar testes projetivos psicopedagógicos. A psicopedagoga avalia cada caso, sendo aplicado principalmente nos casos em que há suspeita de vinculo negativo com a aprendizagem.

i) TESTES PSICOLÓGICOS

Como sou psicóloga, dependendo do sintoma apresentado, posso utilizar alguns testes para avaliar algumas funções cognitivas e mesmo a personalidade, que podem estar contribuindo com a dificuldade no processo de aprendizagem.

j) OUTROS INSTRUMENTAIS

Difícil destacar aqui todos os instrumentais que a profissional pode utilizar num processo avaliativo, pois dependerá muito da queixa inicial e do desenvolvimento do processo avaliativo.

K)ENTREVISTA DEVOLUTIVA

Ao término do processo avaliativo, uma entrevista é agendada para explicar o resultado da avaliação e indicar a melhor intervenção.

 

Algumas vezes, é sugerido a consulta com outros especialistas para ampliar a visão do caso.

PROCESSO DE INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA EM ADULTOS E IDOSOS 

São utilizados materiais de acordo com o planejamento interventivo do caso, como por exemplo: jogos, obras literárias, técnicas expressivas, materiais próprios psicopedagógicos, etc.

Menu do Site
Horário de atendimento

segunda-feira: 

terça-feira: 

quarta-feira:    
quinta-feira: 
sexta-feira: 
sábado: 
domingo: 

18:00–21:00

18:00–21:00

18:00–21:00
18:00–21:00
18:00–18:00
09:00–16:00
Fechado

  • Facebook ícone social
  • Instagram

ATENDIMENTO ONLINE NO MOMENTO